Com a finalidade de demonstrar o relevo, os mapas de orientação possuem as curvas de nível. São linhas marrons que representam "cortes" horizontais no terreno a cada determinada altitude: chamada eqüidistância. Normalmente de 5 em 5 metros.

Esta técnica exige maior treinamento que as demais. Com o mapa em mãos, observando suas curvas de nível, o orientista deve possuir a habilidade de "enxergar" o terreno em três dimensões. A partir dessa "visão", usa-se o relevo a seu favor, evitando subidas e descidas desnecessárias, bem como, auxiliando a navegação.

Em muitas circunstâncias, analisando apenas as curvas de nível isoladamente, chega-se a conclusão que a melhor opção de rota entre dois pontos de controle não é a linha reta, e sim, desbordando elevações e depressões.